Ainda não somos uma Organização da Sociedade Civil sem fins lucrativos, no momento somos uma equipe de pessoas, de diversas denominações,  que se uniram com o objetivo de fortalecer uma comunidade por meio de parcerias e programas que melhorem a qualidade de vida de adultos e crianças. Somos poucos, mas grandes movimentos missionários começaram com poucas pessoas, pequenos grupos reunidos em oração, que tinham em comum o desejo de cumprir a vontade do Pai.  O Projeto Ana-África é um  projeto de ajuda mútua, composto por voluntários integrados numa mesma missão,  comprometidos com os valores humanos e cristãos, a partir dos quais se pretende promover a dignidade do ser humano.

 

Estamos em fase de preparação, reunindo os recursos humanos e financeiros para formarmos uma Associação. Damos assistência emergencial a mais de 250 crianças, providenciando alimento, roupa e material escolar. A maioria dessas crianças são órfãos ou vivem em situação de risco. 

 

Acreditamos que cada criança e jovem tem o poder de transformar realidades, desde que tenham oportunidades para desenvolver seus potenciais. Conscientes de que vivemos num contexto complexo e cheio de desafios, pretendemos atuar na área de Formação e Educação, na Dinamização e Organização Comunitária, Capacitação de Agentes Locais e Promoção da Saúde. 

 

Acreditamos sobretudo no poder da oração,  na união de esforços e na partilha de conhecimentos e experiências. Nosso desejo é cuidar, ensinar, aprender e partilhar! 

 

 

 

Por que vale a pena fazer missões?

 

"Ouçam, meus amados irmãos: não foi Deus que escolheu os pobres deste mundo para serem ricos na fé? Não são eles os herdeiros do reino prometido àqueles que o amam?" Tiago 2:5

 

É quando nos damos pelos outros que a vida brota, tanto no outro quanto em nós!  Vale a pena porque tem a capacidade de nos trazer mais perto de Cristo. Vale a pena porque os sofrimentos são pequenos em relação aos ganhos. Vale a pena porque a vida tem sentido, significado e propósito.”

 

Todos os cristãos são missionários “Ser missionário é a função de todos os cristãos, cada um na sua área de atuação. Não existem classes de cristãos, existem cristãos com vocações distintas. Mas essas distinções não os distinguem em grau de importância. O missionário plantador de igrejas em meio a povos não alcançados é tão relevante quanto o missionário pedreiro, médico, vendedor, pastor ou engenheiro, em meio a comunidades já ‘alcançadas’. Todos estamos amparados pelo comando de Atos 1:8 (‘e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra’). Sendo assim, a vida integral em Cristo vale a pena porque apenas nela encontramos sentido (direção) e significado (propósito) para nossa humanidade.”

 

Vale a pena porque a dependência de Deus é vivida em uma outra dimensão e intensidade. Estar dedicado em tempo integral a missões é colocar não somente os planos de Deus à frente dos seus, mas se alegrar com o que O alegra e se entristecer com o que O entristece. Vale à pena porque a gente tem mais ‘oportunidades’ de ser resposta dEle onde somos enviados, ou onde estamos vivendo, sem precisar ir a outro país ou estado.

 

Fazer missão é obedecer. Provérbios 19:21 diz: ‘Muitos são os planos no coração do homem, mas o que prevalece é o propósito do Senhor’. Assim, ser missionário é muitas vezes abandonar os seus sonhos, que são muitas vezes gerados pelos padrões do mundo e escolher ser obediente ao Pai.

 

Ser missionário não é uma profissão, não é um cargo. Ser missionário é algo que acontece no coração.

CREMOS que a  Biblia é divinamente inspirada, na sua íntegra; que é perfeita na sua forma original e que seu ensino e sua autoridade são absolutos, supremos e finais. Que o Espírito Santo inspirou, na Antiguidade, os homens santos em tudo quanto nela escreveram. Êx. 20:1; Dt. 4:2; 2 Sm. 23:2; At. 1:16; 1 Co. 2:11-14; 14:37; 1 Tm. 2:13; 2 Tm. 3:16 e 2 Pe. 1:21

 

CREMOS NUM DEUS TRIÚNO  que a Divindade existe eternamente em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Que essas três Pessoas constituem um só Deus, tendo a mesma natureza, os mesmos atributos e a mesma perfeição. Gn.1:26; 3:22; 11:7; Dt. 4:35; Is. 6:8; Mt. 3:16,17; 28:19; Jo. 10:30,36; 14:6;17:5; At. 2:17; Rm. 1:20; 2 Co. 13:13; Gl. 4:6

 

CREMOS EM JESUS CRISTO na Personalidade e divindade do Senhor Jesus Cristo, gerado pelo Espírito Santo, nascido da virgem Maria, vero Deus e vero Homem. Mt.1:16-25; Lc.1:30,31; 2:7,11; Jô.1:1-3,14,18; 5:17,23; 10:30,38; 17:5; Gl. 4:4; Gl. 2:5-11; Cl. 1:19; 2:9; 1 Tm. 3:16; Tt. 2:13; Hb.1:1-3,8; 2:14; Ap.1:8; 22:12-13

 

CREMOS NO ESPÍRITO SANTO  na Personalidade e Divindade do Espírito Santo, fonte e poder de todo culto e serviço aceitável a Deus. Intérprete infalível da Palavra escrita, o qual habita em todo verdadeiro crente, sempre presente para testificar de Cristo, procurando ocupar-nos com Este e não conosco ou com as nossas experiências. Jo. 15:26; 16:13-15; At. 1:8; 5:3: 13:2; Rm. 8:9,26,27;1 Co. 2:12,14; 3:4,16; 6:19; 12:13; 2 Co. 5:5 e Ef. 4:30; 1 Jo. 2:27

 

CREMOS que o homem foi criado à imagem de Deus, conforme a sua semelhança, segundo declara a Palavra de Deus; que a raça inteira, entretanto, caiu na queda do primeiro Adão e que não só a natureza moral do homem sofreu grave dano pela queda, mas também que ele perdeu por completo a sua vida espiritual, ficando “morto em delitos e pecados” e sujeito ao poder de Satanás. “O pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à Lei de Deus, nem mesmo pode estar. Portanto os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Rm. 8:7,8) . Que por conseguinte o homem não pode ver o reino de Deus nem nele entrar até que nasça de novo por obra do Espírito Santo. Que nenhuma das realizações do pecador, por notável que seja, no sentido de reformar o seu caráter, atingir grandes elevações morais, cultivar-se espiritualmente e intelectualmente, poderá auxiliá-lo a tomar um só passo em direção ao céu; como também não o farão as suas realizações humanitárias ou filantrópicas, por valiosas que sejam, nem o batismo, nem qualquer outra ordenança, seja qual for o modo pelo qual se administra – sendo absolutamente imprescindível para a salvação uma nova natureza vinda da parte de Deus, uma vida nova, produzida pelo Espírito Santo por meio da Palavra. Gn 1: 26,27; Sl. 51:5; 53:1-3; Is. 64:6; Jr. 13:23;17:9; Mc. 7:20-23; Jo. 1:12,13; 3:3-8; 14:6; At. 4:12; Rm. 3:1-23; 5:12; 2 Co. 5:17; Gl. 3:22; Ef. 2:1-3; Tt. 3:5 e 1 Jo. 5:1,19

 

CREMOS que Jesus Cristo se tornou o substituto do pecador perante Deus, morrendo como sacrifício propiciatório pelo pecado de todo o mundo; que Ele se fez maldição pelo pecador, por cujas culpas morreu, segundo as escrituras; que o arrependimento, os sentimentos, a fé, as boas resoluções, os esforços sinceros, a submissão às regras e ordens de qualquer igreja, não podem acrescentar absolutamente nada ao valor do sangue precioso ou ao mérito daquela obra completa realizada em nosso favor por Aquele que provou a morte por todos. Is. 53; Jo. 1:29; At. 13:38,39; Rm. 3:22,25,26; 4:4,5; 5:8; 1 Co. 5:6-8; 6:9-11; 15:1-13; 2 Co. 5:21; Gl. 3:13,14,20,21;2:10,14; Hb. 2:9; 9:28; 1 Pe. 2:24; 3:18; 1 Jo. 2;2

 

CREMOS NA RESSURREIÇÃO DE JESUS  na ressurreição corporal de Jesus Cristo crucificado; que Ele ressurgiu corporalmente de entre os mortos, segundo as escrituras; que subiu ao céu e está assentado à destra de Deus como sumo sacerdote e advogado do crente. Mc. 16:9-11,14-18; Lc. 24:39; Jo. 20:11-29; At. 1:3,9-11;2:23,24; 3:13-15; 7:55,56; 10:40,41; Rm. 4:25; 8:34; 1 Co. 15:3-6; 9:1; Ef. 1:20,21; 2:6; 4:10; Hb. 1:3; 4:14; 7:25; 1 Jo. 2:1,2

 

JUSTIFICAÇÃO CREMOS que Cristo, na plenitude das bênçãos que assegurou pela Sua morte e ressurreição, é recebido unicamente pela fé; que, desde o momento em que nEle confiamos como salvador, passamos da morte para a vida eterna, sendo justificados de todas as coisas, aceitos perante o Pai segundo a medida da Sua aceitação, amados como Ele é amado, feitos um com Ele. Que, por ocasião da nossa aceitação de Cristo como Salvador, Ele vem habitar em nós a fim de manifestar por meio de nós a Sua vida de santidade e poder. Jo. 1:12; 5:24; 6:47; 17:21-23; At.1:8; 13:38,39; Rm.4:3,5, 23-25,28; 5:1; 1 Co. 1:30; 4:6,7; 10:13; 2 Co. 13:5; Gl. 2:20; 5:16; Ef. 1:3,6,13; 2:6-8;5:30,31; Cl. 1:27; 2:10; Hb. 9:15; 10:10-14; 1 Jo. 4:4; 5:18. I – IGREJA CREMOS que a Igreja é composta de todas as pessoas que creem verdadeiramente no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador; que é ela o Corpo de Cristo e Sua Esposa. Que cada crente é batizado no corpo de Cristo pelo Espírito Santo, quer seja judeu quer seja gentio; que sendo assim membros uns dos outros somos responsáveis para guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz, elevando-nos acima de todos os preconceitos sectários e toda a intolerância denominacional, amando-nos uns aos outros fervorosamente, de coração puro. Rm. 12:4,5; 1 Co. 1:10-13; 12:12-27; Gl. 5:13-15; Ef. 1:22,23; 2:19,22; 4:1-6; 5:25-27,31,32; Fp. 2:1-5

 

CREMOS NA SANTIFICAÇÃO que todos os crentes em nosso Senhor Jesus Cristo são chamados para uma vida de separação dos costumes mundanos e pecaminosos, devendo abster-se dos divertimentos e costumes que possam levar outros a tropeçar ou ocasionem censura para o nome de Cristo. Que os crentes são criados em Cristo Jesus para as boas obras. “Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.” Gl.. 6:10; Rm:12:1,2; 13:12-14; 14:13-21; 1 Co. 8:9-13; 10:23-33; 2 Co. 6:14; Gl. 5:24; 6:14; Ef. 2:10; 4:17-32; Tt.2:11-14; Tg. 4:4; 1 Jo. 2:15,16. K – GRANDE COMISSÃO CREMOS na evangelização do mundo; que a missão suprema do povo de Deus no presente século é anunciar o evangelho a toda a criatura. Que devemos dar lugar de especial destaque à obra de evangelização das crianças. Mt. 18:14; 28:18,19; Mc.10:13-16; 16:15; Lc. 24:47; Jo. 17:18; At. 1:8; 5:32; 2 Co. 5:18,19

 

CREMOS NA SEGUNDA VINDA DE CRISTO na volta pessoal de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo; que a Segunda vinda de Jesus Cristo constitui a “bem-aventurada esperança” que é colocada diante de nós e para a qual devemos vigiar constantemente. “A nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.” Fp 3:20; Mt. 24:44-46; Lc. 17:26-30; 18:8; Jo. 14:1-3; At. 1:11; Fp. 3:20, 21; 1 Ts. 1:10; 4:16, 17; Tt. 2:13; Hb. 9:28; 1 Jo. 2:28; 3:1-3; Ap. 1:7.